Atenção

Fechar

NOTÍCIAS

Obra de Rodrigo Bittencourt destaca siderurgia mogiana

19/08/2019 | O Diário online

LOCAL Escultura de autoria de Rodrigo Bittencourt será instalada no canteiro central de uma das rotatórias da Avenida Francisco Rodrigues Filho, na altura do número 3.900, em César de Souza. (Foto: divulgação)

Seis toneladas de aço inox distribuídas em 13 metros de comprimento, nove metros de altura e seis metros de profundidade. Assim é a escultura ‘Siderurgia Mogiana’, de Rodrigo Bittencourt, que está sendo montada no canteiro central de uma rotatória na altura do número 3.900 da Avenida Francisco Rodrigues Filho, em César de Souza. A instalação da obra será concluída até amanhã, porém a inauguração está prevista para o próximo dia 20.

Possibilitada pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC), a peça representa uma homenagem a um mercado “muito tradicional na cidade desde a Mineração Geral do Brasil/Cosim”, como explica o artista. “Normalmente, meus trabalhos têm conteúdo histórico relacionado ao município, como os que fiz em homenagem às orquídeas (instalada na recém-inaugurada avenida das Orquídeas) e ao basquete (na Avenida Manoel Bezerra Lima Filho), então dessa vez quis homenagear os trabalhadores que atuaram e atuam nessa indústria que movimenta a economia e faz Mogi crescer há tanto tempo”.

A ideia surgiu há 1 ano e meio, sendo que nos últimos três meses, Rodrigo se dedicou com exclusividade à confecção da peça no ateliê particular, no Botujuru. Já a montagem teve início ontem, num local estratégico, próximo à entrada da Höganäs, empresa que patrocinou o projeto doado ao patrimônio público. “Tenho parceria com eles há muito tempo e, ao ver aqueles, fornos gigantes, torres e pessoas trabalhando me despertaram a ideia de desenvolver a obra, mas utilizando o ProAC, um programa muito interessante para o desenvolvimento da arte”, explicou.

No próximo dia 20, o lançamento oficial de ‘Siderurgia Mogiana’ será dentro da Höganäs e depois seguirá em direção à obra, que receberá autoridades locais e um palco para discursos. Um dos temas a serem discutidos será a sustentabilidade, marca registrada e sempre presente nas obras de Rodrigo, cujo pai, Lucio Bittencourt, também é artista. “Meu pai vem há mais de 40 anos trazendo este conceito de reaproveitamento de sucata, transformando-a em obra de arte, e eu o sigo nesta ideia”, disse.

Feita principalmente com grandes placas de aço, a obra simula o funcionamento de uma fábrica, sugerindo movimento. Além de ser esteticamente agradável, a técnica está se tornando sinônimo de arte em espaços públicos mogianos e requer pouca manutenção. “Esta é uma maneira de democratizar a arte, tirando-a de um local privado e colocando-a à disposição de todas as camadas sociais”, avalia.

Dono de outras seis obras em Mogi que se somam a mais seis espalhadas pelas cidades de Suzano, Ribeirão Pires e Atibaia (veja quadro nesta página), Rodrigo já pensa nas próximas esculturas. Aos 37 anos, a ideia dele é continuar trabalhando com leis de incentivo para viabilizar projetos. “Já tenho um aprovado no ProAC em homenagem à indústria do papel, para o qual estou na parte de captação de patrocínio, e ainda há outros em desenvolvimento”, encerra o artista, que lidera um movimento artístico jovem e considera as obras que faz como produtos “de longevidade incalculável”.

ONDE ESTÃO AS OBRAS DE RODRIGO BITTENCOURT
Mogi das Cruzes ‘Índio Botujuru’ – rotatória de acesso ao bairro Botujuru, rodovia SP-066
‘Mão Divina’ – rotatória Durval Palomares, próxima ao Parque Centenário, rodovia SP-066
‘Basquete’ – Avenida Manoel Bezerra Lima Filho, ao lado do Mogi Shopping
‘Cavalo Alado’ – praça do Terminal Central, Rua Professor Flaviano de Melo
‘Réplica do Ford 1951’ – praça da rotatória Júlio Simões, na rodovia SP-066
‘Orquídea’ – Rotatória David Brobow, ponto inicial da Avenida das Orquídeas
Suzano ‘Beleza Negra’ – Parque Max Feffer
‘Tsuru’ – Praça do Sol Nascente
‘Dama das Flores’ – Praça Cidade das Flores
‘Cultura Nordestina’ – Rotatória da Kimberly, na Avenida Francisco Marengo
Ribeirão Pires ‘Cavalo de Ferro’ – Praça da Igreja do Pilar
Atibaia

‘Portal de Atibaia’ – Acesso principal de entrada da cidade

Confira a matéria na íntegra no portal O Diário.

Volta para lista