Atenção

Fechar

PUBLICAÇÕES ABINOX

Informativos Inox

Laticínios com inox

Informativo nº 27 | Novembro de 2017

Laticínios com inox

Inox na produção de lácteos

Produtos perecíveis como o leite e os derivados exigem vigilância constante da fazenda à mesa. Ao longo de toda a cadeia de frio, o inox permanece inerte e com baixa rugosidade mecânica, qualidades inestimáveis para os produtos lácteos. Os aços inoxidáveis usados na indústria de laticínios são laváveis e asseguram o máximo em resistência à corrosão. Uma habilidade fundamental, a neutralidade organoléptica – que não acrescenta sabor ao produto – torna o inox o material preferido dos fabricantes de derivados do leite. Como detentor de um dos maiores rebanhos de gado leiteiro do mundo, o Brasil emprega o inox de forma intensa desde o início da cadeia do agronegócio. Mas, aqui, vamos considerar tudo o que acontece com o leite depois da ordenhadeira mecânica (de inox, claro).

Pasteurização

Na produção do leite e derivados, o inox sempre estará presente para evitar a proliferação de bactérias. Material inerte e promotor da sanidade, o aço inox possui acabamento superficial com baixa rugosidade, adequado à indústria de laticínios. O resfriamento do leite, iogurte, manteiga e creme representa um desafio tecnológico de conservação que conta com a neutralidade química e biológica do inox.

Aço inox 304, 316

Trocador de calor

No processo de produção de lácteos, produtos como queijos e manteigas exigem temperaturas que podem chegar a 130o centígrados. Esse tipo de performance requer trocadores de calor – de placa ou tubulares – que atendam aos requisitos sanitários e permitam fácil inspeção. Solução: aço inoxidável. 

Aço inox 316

Ultrafiltragem

A ampla variedade de sabores, texturas e formas de queijos produzidos em diferentes países implica em múltiplos processos. Todavia, na maior parte das elaborações o emprego de bactérias, coalhos, proteínas e sais reivindica o uso posterior de purificação em equipamentos de ultrafiltragem com a alta resistência à corrosão do inox. Para descansar ou maturar, os queijos são cultivados em racks de aço inoxidável.

Aço inox 316

Tanque de maturação

Laticínios não podem sofrer contaminação por vazamentos de óleo ou por produtos de limpeza. Mas os tanques precisam estar sempre limpos e esterilizados. Em algumas situações, a esterilização demanda grandes pressões e, por resistir à deformação mecânica sem vazar, o inox reina na indústria de alimentos, em especial nos derivados de leite. No serviço de transporte, os tanques de inox são os mais recomendados.

Aço inox 304, 316

Empacotamento

Além do leite, queijo, manteiga e creme, outros lácteos como leite condensado, sorvete e doce de leite chegam à gôndola do supermercado ou à mesa em embalagens que envolvem e protegem um alimento com alto grau de perecibilidade. A embalagem não pode pegar cheiro nem mudar o gosto do produto. No procedimento de empacotar produtos in natura, resfriados ou congelados, a mecanização exige a força de robusto aliado: o aço inox.

Aço inox 316

Apoio:


Volta parar lista