Atenção

Fechar

NOTÍCIAS

Como são fabricadas as moedas?

13/04/2018 | Diário do Grande ABC

As moedas brasileiras são fabricadas a partir de diferentes materiais, cada um utilizado para a montagem dos variados tipos do item. Os discos de aço carbono revestidos de bronze são a base para as moedas de R$ 0,10 e R$ 0,25. Já os anéis revestidos de cobre são usados no processo que resulta nas moedas de R$ 0,05 e R$ 1. Uma liga de aço inox é usada para o desenvolvimento da moeda de R$ 0,50, sendo que esse mesmo material também aparece no núcleo da moeda de R$ 1 e ajuda a completar sua formação.

Elas nascem a partir do processo mecânico da cunhagem, onde as duas faces dos discos são prensadas simultaneamente, transferindo as imagens gravadas do ferramental de segurança (cunho) para as superfícies. Há desenhos distintos para os lados conhecidos como anverso e reverso, dando origem às faces conhecidas popularmente como ‘cara’ (onde aparece espécie de rosto) e ‘coroa’ (local no qual se indica o valor).

Todo o processo ocorre na Casa da Moeda do Brasil, localizada no Rio de Janeiro e também responsável pela fabricação das notas brasileiras. O parque fabril voltado para as moedas é formado por 25 prensas, com elas produzindo até 850 itens – não importa qual – por minuto em sua atividade.

Assim como ocorre com as cédulas nacionais, a decisão sobre a demanda de moedas fabricadas parte do Banco Central do Brasil. O órgão leva em consideração diversos fatores econômicos para realizar o pedido junto à Casa da Moeda, fazendo levantamentos específicos sobre a necessidade de determinadas quantidades de moedas circulando por aí.

As instituições também trabalham em parceria para a definição de certos desenhos comemorativos que aparecem nas moedas em certas ocasiões. São realizadas pesquisas de temas a serem abordados, a exemplo do que ocorreu durante a disputa dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (2016), e a Casa da Moeda desenvolve o projeto artístico a ser cunhado por determinado tempo, fazendo a alegria dos colecionadores de olho nessas novidades.

Confira a notícia no site Diário do Grande ABC.

Volta para lista