Atenção

Fechar

PETRÓLEO E GÁS

A indústria de óleo e gás enfrenta ambientes extremamente agressivos, o que exige a utilização de materiais com elevadas resistência à corrosão e tenacidade, propriedades presentes nos diversos tipos de aços inoxidáveis.

No Brasil, o uso de aço inoxidável nesta indústria vem crescendo nos últimos anos com a descoberta de novos campos com maiores concentrações de contaminantes, que estão dentro de uma nova fronteira tecnológica de produção, conhecida como Pré-sal.

Por este motivo este segmento tem lançado grandes desafios à cadeia de fornecedores em alguns itens, como por exemplo, tubos, válvulas, compressores, bombas, trocadores de calor, flanges e etc, que serão utilizados na confecção de equipamentos aplicados nas áreas de exploração, upstream, downstream e produção, onde existe uma exigência de materiais com alta resistência a corrosão aliada a outras propriedades. Essas características normalmente são encontradas em ligas especiais, como os aços inoxidáveis. No entanto, a seleção destas ligas resistentes a corrosão- LRCs pode ser um processo complexo, uma vez que as condições e operação estão cada vez mais severas.

Petróleo e Gás

No caso dos tubos de revestimento esta condição de severidade está associada à concentração de CO2 e à presença de H2S, que apenas permitem a utilização de aços inoxidáveis supermartensíticos e superdúplex, pois são os aços mais adequados no momento para atender aos desafios tecnológicos deste novo cenário de exploração e produção.

Este cenário junto à política do Conteúdo Local vem impulsionando o desenvolvimento do mercado nacional de forma sustentável, onde há o incentivo para a instalação de empresas internacionais no Brasil e também proporciona a ampliação da capacidade produtiva, garantindo a cadeia de fornecedores locais condições amplas na contratação de bens, sistema e serviços, o que vem proporcionando um aumento nos investimento nacional para atender os novos desafios decorrentes desta nova fronteira tecnológica, o que promove o fortalecimento da indústria brasileira e o consumo de aço inoxidável.

Alguns campos de petróleo no Brasil apresentam elevada acidez naftênica, como consequência, no refino em alta temperatura, as frações de petróleo apresentam acidez que associada à velocidade provoca corrosão acelerada de fornos e outros equipamentos.

A utilização de aços inoxidáveis pode mitigar este tipo de problema.

Diversos equipamentos fundamentais para a exploração de petróleo e gás utilizam ligas de aço inoxidável, como é o caso da Árvore de Natal Molhada (ANM), conjunto de grandes válvulas que permitem o fluxo de produção de petróleo e gás, do poço para a superfície, assim como a injeção de líquido e gás da superfície para o poço.

Petróleo e Gás

Na Indústria Química e Petroquímica, no Brasil e no mundo, os investimentos nas refinarias de petróleo ganharam muita força ao longo dos anos, pois tem a importante missão de abastecer a indústria química e petroquímica com tecnologias inovadas e alto grau de exigência.

Por isso, esse segmento tem lançado grandes desafios ao mercado fornecedor de acessórios, ou seja, tubos, válvulas, compressores, bombas, trocadores de calor, flanges, etc. que serão utilizados na confecção de importantes equipamentos, produzidos a partir de materiais que combinam alta resistência à corrosão com excelente processabilidade.

Essas características são as mais valorizadas pelos fabricantes dos acessórios, que se utilizam de barras de Aços Inoxidáveis, Ligas Especiais e Peças Forjadas em aços cada vez mais diferenciados.

As bombas utilizadas para transferência de fluídos mais viscosos ou corrosivos, têm em sua composição, aços especiais como 304L, 316L e duplex.

Válvulas, produto utilizado em grande escala nas indústrias petroquímicas e de óleo e gás, utilizam em seus componentes aços inoxidáveis desenvolvidos para atender exigências específicas do segmento.